Loli ☕

💝 💭 👠 💄 🐰 🐶 🍫 ☕ ❄ 📷 📚 📝 💻

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Daydream - Devaneio

I'm at work, but I can't concentrate on what I'm doing.
I'm desperate, I want to get out of here, I want to go to your arms.
Thinking of you help me, calm me, keep me sane.
I take a deep breath, my boss does not stop screaming, she shouts, moves her arms like a crazy, I do not hear her, not even strive to try to understand what she is saying.
I sigh.
I look at the clock, it's almost time to see you. I'm beginning to think about what's going to happen when I get home. I will run in your direction, I will surround your shoulders with my arms and I will lean your lips to mine, you deepen our kiss, you descend your hands behind my back, my body warms, you grab me, hold me so you can stay between my legs I feel like we're walking, without interrupting what we're doing, by the corner of the eye I see we're heading towards the room.
I wake up.
I feel a shiver climbing my body. I soak the lips that were dried and fix the hair, look discreetly back to make sure no one noticed my daydream.
Suddenly, a hand lands on my shoulder and I jump, I hit with my knees on my desk, spilled my glass with water. Fortunately, I didn't mess up or spoil anything. That's my colleague.
-After work we all go to the coffee, you come?
After I refuse his generous and sympathetic invitation, I go back to the computer and get to work!
Without success, I'm not able to stop looking at the clock, I'll get my hair on my feet soon. My boss doesn't stop walking around screaming with this one and that one, even wonder I didn't come to my side today. I'm not complaining.
Finally, time to get out. I keep my personal items in the suitcase, I turn off the computer, I leave my cubicle and by addressing the exit door I hear my colleagues commenting I do not know why you still invite her to whatever it is, the answer is always the same.
My colleagues don't understand, no one understands.
I'm not going to waste any second that I could be with you with other people. Nobody's worth my time, nobody's as important as you.
No, I'm not going anywhere with anyone when I know I can be with you in our home.
On the way, I make a detour, I go shopping. In the hallway, I found one of my college-time teachers, and we talked for a long time, too long. I just wanted to leave, go home, go to you. Sorry for the delay.
I go home, take off my shoes, take my coat, pick up my hair, walk through the living room and look at the sofa, it's not there, I go to the bedroom, I look at the bed, you're not there.
You never are.
I'm always waiting to meet you, but I never find.
I know that you are my imagination, which I await desperately for the impossible, but I can't help it, and I don't want it.
You're the only one who abstracts me from this sad, dull and so mediocre reality.
I have everything I want, but the truth is, I have nothing if I don't have you. You are my companion, my friend, my confidant, my passion, my lover, my imagination. And without you, I probably wouldn't be around anymore...
After dinner, I'm going to take a shower, dry myself, put my pajamas on and go to sleep.
You lay beside me, you kiss my neck after the earlobe and finally the lips.
The rest continues in the dream...



MP









Estou no meu local de trabalho, mas não me consigo concentrar no que estou a fazer. 
Estou desesperada, quero sair daqui, quero ir para os teus braços. 
Pensar em ti ajuda-me, acalma-me, mantém-me sã.
Respiro fundo, a minha chefe não para de ralhar, ela grita, dá aos braços como uma louca, não a oiço, nem sequer me esforço para tentar perceber o que está a dizer. 
Suspiro.
Olho para o relógio, falta pouco para te ver. Começo, antecipadamente, a pensar no que vai acontecer quando chegar a casa. Vou correr na tua direcção, vou rodear os ombros com os meus braços e vou encostar os teus lábios aos meus, tu aprofundas o nosso beijo, desces as mãos pelas minhas costas, o meu corpo aquece, pegas-me ao colo, seguras-me de maneira a que fiques entre as minhas pernas, sinto que estamos a andar, sem interromper o que estamos a fazer, pelo canto do olho noto que estamos a ir em direcção ao quarto. 
Acordo.
Sinto um arrepio trepar-me pelo corpo. Molho os lábios que ficaram secos e ajeito o cabelo, olho discretamente à minha voltar para me certificar que ninguém reparou no meu devaneio.
De repente, uma mão pousa no meu ombro e eu dou um salto, bati com os joelhos na secretária, entornei o meu copo com água. Felizmente, não sujei nem estraguei nada. É o meu colega.
- Depois do trabalho vamos todos ao café, vens?
Depois de recusar o seu generoso e simpático convite, volto-me para o computador e ponho mãos à obra! 
Sem sucesso, não sou capaz de parar de olhar para o relógio, não tarda fico com os cabelos em pé. A minha chefe não para de andar de um lado para o outro a berrar com este e com aquele, até me admira não ter vindo para o meu lado hoje. 
Finalmente, hora de sair. Guardo os meus objectos pessoais na mala, desligo o computador, saio do meu cubículo e ao dirigir-me à porta de saída oiço os meus colegas a comentar não sei porque é que ainda a convidas para o que quer que seja, a resposta é sempre a mesma.
Os meus colegas não entendem, ninguém entende. 
Não vou desperdiçar qualquer segundo que possa estar contigo a estar com outras pessoas. Ninguém vale a pena o meu tempo, ninguém é tão importante como tu. 
Não, não vou a lado nenhum com ninguém quando sei que posso estar contigo, no nosso lar.
No caminho, faço um desvio, vou às compras. No corredor, encontro uma das minhas professoras do tempo de faculdade, ficamos a conversar durante muito tempo, tempo demais. Só queria ir embora, ir para casa, ir para ti. Desculpa pela demora.
Chego a casa, tiro os sapatos, dispo o casaco, apanho o cabelo, passo pela sala e olhei para o sofá, não está lá, dirijo-me ao quarto, olho para a cama, não estás lá.
Nunca estás. 
Estou sempre à espera de te encontrar, mas nunca encontro.
Sei que és fruto da minha imaginação, que aguardo desesperadamente pelo impossível, mas não posso evitar, não consigo e não quero.
És o único que me abstrai desta realidade tão triste, tão monótona e tão medíocre. 
Tenho tudo o que quero, mas a verdade é que não tenho nada, se não te tenho a ti. És o meu companheiro, o meu amigo, o meu confidente, a minha paixão, o meu amante, a minha imaginação. E sem ti, provavelmente, já não estaria por cá...
Depois de jantar vou tomar um banho, seco-me, visto o meu pijama e vou dormir. 
Tu deitas-te ao meu lado, beijas-me o pescoço depois o lóbulo da orelha e finalmente os lábios. 
O resto continua no sonho...



MP 

Sem comentários:

Enviar um comentário